DICAS DE ORATÓRIA!

Na minha visão, a oratória não é um dom, é uma habilidade que pode ser aprendida e exercitada por quem busca crescimento, pessoal e profissional, através da comunicação.

Saber se expressar, tanto pela fala, quanto pelo comportamento é absolutamente fundamental para qualquer pessoa que objetiva o sucesso, em qualquer área ou setor.

Mas, afinal o que é oratória?

A oratória é a habilidade de falar em público, de maneira clara, efetiva e objetiva. Seja para uma plateia ou numa reunião de negócios.

Para alguns estudiosos é considerada uma arte, para outros um dom, mas nas verdade é um conjunto de técnicas e aprendizados que podem ser absorvidos, aprendidos e praticados por pessoas que queiram melhorar a comunicação com o outro.

A oratória de excelência é aquela que constrói credibilidade, que demonstra autoridade no assunto proposto e que resulta em assertividade, através das comunicações verbal e comportamental, com expressões corporais pertinentes e discurso fluido.

O sucesso da boa oratória não é verificado pelo convencimento superficial, mas pelo entendimento efetivo das partes que se comunicam.

Se auto avaliar é importante. Você já vai conseguir melhorar suas técnicas ao falar em público se conseguir enxergar como está sua oratória como expectador. A dica aqui é: peça alguém para fazer um vídeo enquanto simula uma fala em público. Assista-o com visão crítica e com bloco e caneta nas mãos.

Na comunicação, o corpo fala. Na oratória, o corpo grita. Livros sobre comunicação e comportamento ajudam, mas não substituem o treinamento e a prática. Entender os movimentos do seu corpo enquanto você fala é tão importante quanto entender as expressões corporais de quem ouve você!

Fique de olho no tom da sua voz. Não eleve o tom da voz para impor suas ideias e nem fale em tom muito baixo para passar a impressão de humildade, saber usar o tom de voz adequado é um dos recursos que a oratória pode agregar ao seu discurso.

Evite os chamados “vícios corporais” como colocar as mãos nos bolsos, passar as mãos nos cabelos, ajeitar os punhos da camisa, manipular objetos fora do contexto, entre outros. Tudo isso pode, inclusive, fazer você se esquecer de olhar nos olhos da audiência.

Elimine os “vícios verbais” como “né”, “tá”, “então”, “entendeu”, entre outros. Coloque-se no lugar do outro e pense como é chato ouvir esses vícios quando você está no lugar do espectador.

Estude, pratique e tenha completo domínio sobre o tema a ser falado. Somente com  estudo e treino você alcançará excelentes resultados. Organize-se, faça o preparo prévio dos principais tópicos, simule perguntas pertinentes e encontre casos ilustrativos para tudo o que você for falar. Se for preciso, anote e memorize pontos fundamentais. Isso fará com que se sinta mais confortável e, principalmente, mais confiante.

E aí, precisa de ajuda para falar bem?
Conte comigo.

Faça [email protected]

E você já pode comprar o meu livro pelo link https://pag.ae/7Vr_Ygu4o

Comentários

comentários

Post A Comment