VOCÊ SABE O QUE É STORYSELLING?

Talvez você tenha pensado que houve um erro de digitação e que, na verdade, eu queira falar sobre storytelling… Na verdade, eu quero mesmo falar é sobre storyselling, que tem um significado parecido com o do primeiro termo, mas com um objetivo diferente.

Enquanto o storytelling — de maneira bem resumida — refere-se a uma narrativa, ou seja, uma história contada sobre algo ou alguém, para despertar emoção e criar conexões com as pessoas, o storyselling utiliza os mesmos elementos, mas com o objetivo de contar a história de uma marca e gerar venda.

Algumas empresas já compreenderam que é possível contar histórias que vendem, e eu quero explicar um pouco sobre como isso pode ser feito.

O que é storyselling?

A maioria das pessoas gostam de histórias, por isso é que estão sempre surgindo novos conteúdos na televisão, no cinema e na literatura. Seja lendo uma ficção, maratonando uma série ou assistindo a uma novela, animação ou filme, o ser humano se conecta emocionalmente com as histórias que consome.

E todos, de uma forma ou outra, também são contadores de histórias, seja numa roda de conversa ou nas mensagens trocadas no dia a dia.

Enfim, é por causa disso que as empresas estão entendendo que uma boa narrativa pode ser uma excelente forma de se aproximar de seus potenciais clientes, humanizar sua marca e oferecer soluções para os problemas das pessoas.

Storyselling pode ser definido então como uma estratégia de marketing em que a abordagem da venda não é apenas oferecer um produto ou serviço, mas contar uma história que cause um impacto positivo, crie um vínculo e ofereça uma promessa de melhoria ou transformação para as pessoas.

Como colocar em prática

O primeiro passo é pensar que seu público não quer ser visto como apenas um lead, portanto não espere dele apenas compras, dê a ele uma razão para agir. Com o storyselling, a ideia é conectar o potencial cliente com a emoção, mas justificar a ação pela lógica.

Com esse entendimento, você pode começar a colocar em prática definindo quem é o público-alvo de sua narrativa, afinal, o seu cliente pode ser o protagonista da história e o “vilão” pode ser o problema que ele enfrenta ou a necessidade que precisa ser suprida.

A seguir, defina qual será seu canal de comunicação. Onde você contará a história de sua marca? Será em seu site/blog? No seu canal do YouTube? No seu Instagram ou em outra plataforma? Pois é a partir daí que será possível saber em qual formato o conteúdo será produzido.

Pense então no teor da mensagem que será transmitida e que emoções deseja despertar nas pessoas.

Uma alternativa interessante é contar histórias reais, os chamados “cases de sucesso”. Se tiver clientes satisfeitos dispostos a contarem sobre a experiência com sua marca, isso pode enriquecer bastante sua estratégia. Afinal, o gatilho mental da prova social é excelente para fazer com que outras pessoas se identifiquem e queiram estar naquele mesmo lugar de quem obteve resultados significativos com a sua marca.

Gostou de conhecer um pouco sobre o conceito de storyselling? Eu gosto muito de falar sobre as ferramentas e novidades na área de marketing e vendas, pois minha intenção é auxiliar empresas a ampliar seu potencial e obter sucesso. Se você se interessa pelo assunto, acredito que meu post com 8 gatilhos mentais que você deve usar para vender mais será útil. Não deixe de ler!

Comentários

comentários

Post A Comment